Blog

18 de junho

Lesões na coluna devido ao uso de Smartphone

Este problema está começando cada vez mais cedo. Problema que afeta crianças, jovens e adultos é agora esclarecido por estudo publicado na revista científica Surgical Technology International, sobre os impactos da utilização de smartphones no pescoço dos usuários.

Você sabia que inclinar o pescoço para olhar o celular impacta em até 30 kg a coluna de uma pessoa? O cirurgião americano Kenneth Hansaraj chegou a esse número utilizando um modelo computadorizado de uma coluna humana. O cálculo é simples: uma cabeça humana pesa 5 quilos, em média. Esse peso é amplificado caso o crânio seja inclinado para baixo, já que o movimento aumenta a força da gravidade, dependendo do grau de inclinação. Com o pescoço inclinado a 60º, o impacto na coluna do usuário chega a 27 kg. Seria como se fossem amarradas quatro bolas de boliche no pescoço de quem está usando o smartphone.

De acordo com Hansaraj, a inclinação constante do pescoço pode levar a um desgaste excessivo da coluna. ”Esse estresse pode levar a degeneração dos ossos e até a possíveis cirurgias”, afirma o especialista.

Segundo o Dr. Murilo Franco, Quiropraxista da Clínica Mais Coluna, “manter o pescoço flexionado para baixo por um longo período ou várias vezes durante o dia, aumenta o risco de artrose, degeneração de disco vertebral e dor de cabeça”.

Mas como prevenir para diminuir os efeitos do uso constante dos smartphones?

  • Em primeiro lugar prestando atenção em seus movimentos.
  • Se você trabalha em um escritório, certifique-se de que sua tela esteja configurada de modo que quando você olha para ela, você esteja olhando para a frente, com a cabeça posicionada diretamente na linha dos ombros e coluna vertebral.
  • Não é necessário colocar o smartphone na altura dos olhos, mas também não é preciso inclinar o pescoço todas as vezes que o telefone apitar.
  • Pequenos exercícios, como colocar a orelha nos ombros ou pressionar a cabeça contra as mãos, também fortalecem os músculos do pescoço, aliviando os impactos na coluna.

Categorias: Postura

autor

Clínica Mais Coluna