Blog

03 de junho

Como a corrida afeta o nosso corpo

Você pratica ou quer praticar corrida? Então, precisamos dar uma atenção especial à coluna para que ela aguente os trancos na hora de correr.

A estrutura da coluna vertebral é adaptada para suportar os mecanismos de pressão. Podemos dividí-la nas seguintes partes:

  • Os músculos paravertebrais e os ligamentos, que funcionam como estabilizadores.
  • Os discos intervertebrais, intercalados com os corpos ósseos das vértebras, que permitem mobilidade e estabilidade, e atuam como “amortecedores” durante a corrida, absorvendo energia.

A corrida como atividade cíclica (que se repete muito) pode prejudicar este mecanismo e levar à degeneração precoce dos discos intervertebrais, com ou sem hernias, principalmente da região lombar, podendo levar à chamada lombalgia discogênica.

Há outras lesões por microtraumas na coluna vertebral que incluem as fraturas por estresse, mais comuns em mulheres portadoras de osteoporose, e as apofisites, lesões na placa de crescimento do corpo vertebral em adolescentes em fase de crescimento.

A acentuação das curvaturas natural da coluna (hipercifose ou hiperlordose) ou as curvas anormais (escolioses), associadas à tensão excessiva da musculatura extensora e fraqueza dos flexores abdominais e cervicais, podem levar à lombalgia ou à cervicalgia mecânica, respectivamente. São dores que, em geral, manifestam-se um dia após a corrida, sem motivo aparente e que, por mais que incomodem, respondem bem ao repouso.

Na vigência de dores lombares, deve ser levada em conta a postura do atleta. Há outros fatores intrínsecos importantes como:

  • Pés planos (chatos);
  • Calcâneos valgos (desvio do calcanhar para fora);
  • Pés cavos (arco plantar elevado);
  • Geno varo e geno valgo (arqueamento da perna, para dentro e para fora, respectivamente).

Também não podemos esquecer os fatores extrínsecos como treino inadequado, falta de aquecimento e de alongamento, terreno e tênis inapropriados.

Uma boa postura é fundamental para correr bem e com segurança. Isso porque, além de prevenir e de minimizar lesões, o equilíbrio correto dos músculos e do esqueleto consome menos energia do organismo. Os atletas profissionais procuram preservar a postura ideal do início ao final do treino, não importando o nível de cansaço a que estejam submetidos.

A postura incorreta na corrida geralmente tem causas anteriores à prática esportiva, ou seja, surge no dia-a-dia. Com a postura incorreta, a atividade física pode até piorar alguns problemas (se não houver orientação profissional adequada). Cerca de 80% da população, em todo o mundo, já teve ou irá ter dor nas costas ao longo da vida, segundo a Organização Mundial da Saúde. Dentre doenças, o número só é menor que a incidência de cefaléia, ou a famigerada dor de cabeça.

Para proteger a coluna, há a necessidade de combinar exercícios de fortalecimento muscular aos treinos de corrida. O objetivo é um equilíbrio mecânico e uma sincronia entre a musculatura abdominal e a musculatura dorsal e lombar. Além disso, o praticante pode conciliar a atividade com o tratamento quiroprático, pois os ajustes articulares tem como finalidade o bom funcionamento da coluna, resultando numa melhor postura e prevenindo qualquer tipo de problema na coluna.

Praticada com acompanhamento adequado, a atividade física age de forma preventiva. Fortalece os músculos que dão sustentação à coluna e combate a obesidade, mas como sempre, precisa ser bem feita.

Categorias: Atividade Física

autor

Clínica Mais Coluna